Os desagregadores de plantão

Há no seu coração perversidade, todo o tempo maquina mal; anda semeando contendas. Por isso a sua destruição virá repentinamente; subitamente será quebrantado, sem que haja cura. Estas seis coisas o SENHOR odeia, e a sétima a sua alma abomina: ‘Olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente,

O coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal, a testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos.

Provérbios de Salomão

 

Eis aqui um provérbio numérico onde os números 6 e 7 enfatizam verdades sobre a conduta do homem mau e iníquo no paralelismo sinônimo da poesia hebraica

Ao listar seis coisas que o Senhor odeia, o sábio registra que os piores dos piores são os semeadores de contenda.

Há olhos, línguas, mãos, corações e pés característicos das pessoas que são do mal. Olhos altivos, línguas mentirosas, mãos que derramam sangue inocente, corações que maquinam pensamentos perversos e pés que se apressam a correr para o mal.

Os olhos são janelas que revelam um coração arrogante e a língua são portadoras de palavras perversas e conversas fraudulentas. As mãos são instrumentos de assassinatos, os corações são salas de planejamentos perversos e os pés vivem correndo para fazer maldades.

Há outras utilizações metafóricas para os membros do Corpo Humano, Pierre Weil e Roland Tompakow apresentam um viés psicológico no livro “O Corpo Fala”, aqui em provérbios a aplicação interpretativa sinaliza para lições que definem o que é ou não uma conduta social desagregadora.

Nas palavras do Sábio, há indivíduos fragmentadores que transpiram discórdias e não conseguem viver sem plantar uma confusão entre amigos ou companheiros de um projeto comum.

Os semeadores e semeadoras de contendas são gente do mal e danosa da cabeça aos pés. Gente assim será destruída repentinamente e subitamente quebrantada sem que haja cura. E não se trata de amaldiçoar decretando que o fim deles está próximo, esses sabotadores se autodestroem, basta-lhes a vida como ela é os seus venenos internos para arruína-los.

Todos nós temos potencialidade para o bem e para o mal. Essa mistura é da natureza humana, uma mistura que vira guerra depois do novo nascimento, uma guerra entre a nossa natureza humana e o Espirito da nova vida.

Somos tão complexos e contraditórios que o uso errado de nossos talentos pode trazer muita desgraça e a exposição das nossas fraquezas pode despejar graça e até cura sobre as pessoas. E não se trata de erros e acertos, pois alguns erros são capazes de ensinar, enquanto que alguns acertos podem reforçar o individualismo, o egoísmo e a empáfia.

Tornar-se do bem ou do mal é um processo cheio de escolhas que consciente ou inconscientemente fazemos, somos nós que escolhemos seguir na jornada da integração ou da desintegração.

A história da humanidade está cheia de exemplos emblemáticos, não são poucos os que optaram pela vileza, dissimulação e pela semeadura da contenda.

Quem vive com as mãos cheias de sementes de contendas ao pensar que só manipulam, são facilmente manipuladas para desagregar e dividir, gente assim interessa muito àqueles que desejam tomar o poder ou se perpetuar nele.

Mas para nós que não gostamos dessas posturas e comportamentos, resta-nos cuidar para que as sementes da dissensão e da desunião não sejam semeadas ou brotem em nossos corações.

No caso daqueles que contenderam com irmãos por causa de algum desagregador ou desagregadora, reconheça o seu erro, busque a reconciliação e lute pela unidade que devemos ter na família, comunidade e nação.

 

Recuperar a unidade perdida significa reconquistar a paz.

 

[ Pierre Weil ]
Recent Posts
Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt

Start typing and press Enter to search