70/30

Quem aceita a disciplina traz vida a outros, mas quem a ignora perde o rumo e os outros desencaminha.

[ Provérbio de Salomão 10:17 – Bíblia A MENSAGEM]

 

Foi o mestre Acylino Bellisomi quem me ensinou a lição do 30/70.

O professor Acylino Bellisomi foi um dos poucos políticos 70/30 que eu conheci, um querido amigo e importante pensador que marcou a cultura, a história e a política de Santo André. Acylino foi um irmão nascido em tempos de angustias, um bom camarada.

Foi com ele que eu aprendi a lição do 30/70 que eu tentarei explicar por aqui sem me complicar. Sim, sem me complicar, pois eu vivo pedindo a Deus que me livre dos petistas doentes e dos antipetistas raivosos, bem como dos evangélicos fundamentalistas santarrões e destemperados, dos neo cristãos blases / poser insuportavelmente pseudo intelectuais e alguns devotos do deboismo.

Vamos à lição do setenta trinta do professor Acylino.

Eu estava em minha sala da Prefeitura Municipal de Santo André em meados de 2007, o ano em que eu saí do Partido dos Trabalhadores. Eu olhava “o nada” pela janela completamente furioso com uma das decisões do partido. A raiva era tanta que eu não conseguia ver o Acylino e o Takara acenando do prédio em frente para que eu fosse até o gabinete da secretária da Cultura para tomar um café e conversar um pouco. Com uma telefonada o mestre interrompeu o meu transe iracundo e eu segui até lá para aprender um pouco mais.

Após ser recebido com a cordialidade de sempre, o professor emendou a máxima: “ Levi, em política, as pessoas são 30/70 ou 70/30. São 30% batuta e 70% (uma coisa-que-rima-com-batuta) ou 70% batuta e 30% (uma-coisa-que-rima-com-batuta). A nossa batalha é para que a turma dos 30/70 não se perpetue no poder, mas a nossa guerra é para que jamais deixemos de ser 70/30“.

Olhando o atual quadro político, não há como negar a atualidade daquela conversa e, infelizmente, parece que a turma do 30/70 tem se revelado a grande maioria em todos os espaços governamentais ou não. Essa é a grande lição, a regra não vale só para eles, os políticos, todos nós, eu e você, somos 30/70 ou 70/30. É a velha natureza humana, todo ser humano é assim.

Criar expectativas demais com o outro ou consigo mesmo esperando os tais 100% batuta pode se transformar em uma tortura absurda. Essa idealização cruel é muito comum nos ambientes religiosos onde a hipocrisia, a culpa e o moralismo convivem sem nenhum pudor.

O autor Jonathan Menezes diz que não convive com espirituais, convive com pessoas: A espiritualidade que promete as alturas não me serve, sou gente e não pássaro, gente e não anjo. Quero espiritualidade-chão, ser pessoa-chão, porque o evangelho não é especulação metafísica; o evangelho é Deus abraçando o chão, se fazendo gente e mudando o curso da história.

Sejamos mais realistas! É melhor assim!

Todos sabemos que o legalismo e o fundamentalismo mais atrapalham do que ajudam quando a proposta é a busca de uma espiritualidade saudável, mas não podemos ignorar o fato de que uma espiritualidade sem disciplina é uma farsa e um descaminho danoso.

É justamente por não sermos 100% batuta que não podemos viver sem disciplina, pois é ela que nos livrará de sermos 100% nada batuta ou em nos contentarmos em sermos quando muito 30% batuta.

Impor a disciplina a si mesmo é uma das grandes vitórias do homem contra si mesmo, uma vitoria que se consolida mais ainda quando dividimos a nossa jornada com amigos leais que nos repreendam, corrijam e instruam a sermos pessoas melhores.

O apóstolo Paulo afirma que pessoas melhores tem um tipo de vida diferenciado daquelas que fazem o que “bem entende”. Gente que faz o que bem entende sem se importar com nada e com ninguém tem uma vida com as seguintes características: sexo barato e frequente, mas sem nenhum amor, vida emocional e mental detonada, busca frenética por felicidade, sem satisfação, deuses que não passam de peças decorativas, religião de espetáculo, solidão paranóica, competição selvagem, consumismo insaciável, temperamento descontrolado, incapacidade de amar e de ser amado, lar e vidas divididos, coração egoísta e insatisfação inconstante, costume de desprezar o próximo, vendo todos como rivais, vícios incontroláveis e tristes paródias de uma vida em comunidade. (Gálatas 5:19 a 21 Bíblia na linguagem contemporânea A MENSAGEM ) 

As pessoas melhores, diz Paulo, são como pomares de Deus onde frutos e frutas de virtudes vão brotando: Deus faz surgir dons em nós, como frutas que nascem num pomar: afeição pelos outros, uma vida cheia de exuberância, serenidade, disposição de comemorar a vida, um senso de compaixão no íntimo e a convicção de que há algo de sagrado em toda a criação e nas pessoas. ( Gálatas 5:22 ) 

Toda pessoa que ignora, desrespeita ou debocha do fato de que há algo de SAGRADO em toda a criação e nas pessoas deve ser disciplinada, repreendida e confrontada.

Confrontar sem amor e endurecer sem ternura não se admite, mas confrontar é um ato de amor e ficar sem confrontar é irresponsabilidade e covardia.

Fazer vistas grossas para pessoas que fazem mal a si mesmas e aos outros é o pior cego que pode existir, cegos assim me recordam a advertência de Jesus de Nazaré: Deixai-os; são cegos condutores de cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova. ( Mateus 14:15 ) 

 

Que Deus nos livre dos movimentos hipócritas e malignos de caça às bruxas e da regra de fé e prática dos cínicos que perdem o rumo e desencaminham outros.

Não há dúvida que Deus chamou vocês para uma vida de liberdade.

Mas não usem essa liberdade como desculpa para fazerem o que bem entendem, pois, assim, acabarão destruindo-a.

Em vez disso, usem a liberdade para servir o próximo com amor.

É assim que vocês serão cada vez mais livres, pois o ensino da Palavra de Deus resume-se numa única frase: ame o próximo como a você mesmo.

Isso é que é liberdade.

Se vocês vivem como cão e gato, vão acabar se destruindo.

Querem perder a preciosa liberdade?

Aqui vai o meu conselho:

vivam nesta liberdade, motivados pelo Espírito de Deus; só assim vencerão seus impulsos egoístas.

Pois há em nós uma raiz de egoísmo que guerreia contra a liberdade do Espírito!

Essa liberdade é incompatível com o egoísmo.

São dois modos de vida opostos: não dá para viver com os dois.

Por que não escolhem o caminho do Espírito?

Só por ele poderão fugir dos impulsos inconstantes de uma vida dominada pela Lei.

( Gálatas 5:16 a 18 na Linguagem Contemporânea da Biblia A MENSAGEM ) 

Recent Posts
Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt

Start typing and press Enter to search