NOUN – Eu não mereço sentir dor para me prevenir do câncer de mama.

Woman examining her breast isolated on white

 

Daniel Silva Guimarães

Discípulo de Jesus de Nazaré disfarçado de Cientista

 

Nove em cada dez mulheres relatam desconforto durante a mamografia (JÚNIOR, R. F, 2005), e muitas outras não fazem o exame justamente por terem medo de tal desconforto devido aos relatos de experiências dolorosas repassadas por outras mulheres.

O câncer de mama é o segundo que mais provoca mortes em mulheres em todo o mundo, e para combate-lo é indicado que se faça uma análise rotineira realizada de seis em seis meses para acompanhamento de possíveis anomalias e detecção das mesmo em seu estado inicial de desenvolvimento, onde há maiores possibilidades de cura.

No Brasil, recomenda-se realizar o exame a partir dos quarenta anos, idade considerada avançada para diagnosticar o câncer em seu estado inicial. Além da idade, a dois outros fatores que podem justificar a grande ocorrência de tantas mortes por esta enfermidade, são elas: a dolorosa e arcaica técnica que pouco se mudou desde 1913, aplicando entre 11 kg e 18 kg sobre a mama da paciente para prensa-la e ter uma melhor imagem, e a incidência de raio x, considerado um ativo para mutações genéticas (Loureira, 2011). Devido a estes fatores se torna muito mais difícil perceber o mal na sua fase inicial, sendo assim, quando notado já em uma fase avançada, as chances de cura são infinitamente menores.

Alguns depoimentos

Desde o início do projeto, quando algumas mulheres ficam sabendo que a proposta do NOUN é realmente trazer alívio durante o exame, muitas manifestam apoio e outras diversas “rogam” para que este projeto seja desenvolvido e se torne uma realidade. Muitas destas relataram suas experiências não agradáveis e manifestaram as suas visões, como visto de algumas abaixo:

“Este exame é muito incomodo, o qual passei 5 anos realizando de 6 em 6 meses, porém não desejo essa experiência para ninguém pelo tamanho desconforto sentido após a análise. Infelizmente tenho que realiza-lo, mesmo ficando apreensiva devido a relembrar de todas as dores e também do mal preparo e mal atendimento dos operadores dos equipamentos”.

Nirivan Brito, 60 anos

“A mamografia é super desconfortável, super incomodo e chato de ser realizado, principalmente para mulheres de pequenas mamas. O meu maior desejo é que este exame seja feito com um equipamento menos agressivo para as mulheres. Faço o exame anualmente e todas as vezes que faço sinto a mama muito dolorida e sensível”.

Ivanira Barreto, 61 anos

“Sou uma senhora leiga em termos médicos e técnicos, mas como admiradora da filosofia sou questionadora e decidi não fazer o exame de mamografia até o momento porque tenho as minhas dúvidas quanto ao aparelho que realiza o exame. Vendo que a minha mama é sensível como da maioria das mulheres e ouvindo falar que esse aparelho aperta, agride e tenho as minhas dúvidas do que está agressão pode causar para minha saúde se essa pressão for um pouco excessiva”.

Norma Suely, 57 anos

“Como eu nunca fiz o exame e conversei com poucas pessoas que fizeram até hoje, o ponto que mais destacam é o grande incômodo que elas sentem durante o exame. Por isso esse é um dos meus receios, mas como sei que é de grande importância, não deixaria de fazer”.

Giulia Maria, 17 anos
O que estamos desenvolvendo?
Visamos desenvolver um equipamento presando duas bases primárias:

  •   A não utilização do raio x ou qualquer radiação nociva ao organismo humano.
  •   O alivio na coleta e obtenção das imagens por meio da não utilização da técnica depressionamento das mamas.Além destas duas prerrogativas majoritárias para o desenvolvimento do equipamento, presamos por conceitos físicos claros e objetivos, baixo custo de produção do equipamento e qualidade das imagens fornecidas para análise. Fazendo com que o exame seja mais preciso e antecipado para os devidos tratamentos caso haja algo suspeito detectado.

    Visamos também que devido ao menor preço do equipamento, este poderá chegar a mais lugares do mundo, beneficiando mais mulheres com um acompanhamento rotineiro e praticamente sem incômodos físicos, além de livrar muitas da morte diminuindo essa terrível estatística.

    Por que NOUN?

    Até então não há nenhum equipamento a venda ou em desenvolvimento pelas maiores marcas fabricantes de mamógrafos que não haja a necessidade de pressionar a mama, devido a isto o termo utilizado para denominar o equipamento tem origem hebraica que significa alívio, foi escolhido para tal por ser a real intenção do mesmo, que é dar alívio da dor e incomodo sentido nas seções de mamografia.

    Conclusão

    Ao fazermos uma breve analise do panorama e da dimensão deste projeto a ser desenvolvido percebemos que há uma urgência de desenvolvimento para tal solução tecnológica, humana e social. Vimos que as técnicas atuais se mantêm praticamente inalteradas por mais de um século provocando dores e por este motivo deixando de analisar rotineiramente a saúde da mulher, causando assim muitas mortes, as quais só crescem a cada dia.

Se o que visamos desenvolver vir a se concretizar, passaremos a fazer análises com mais frequência, aumentando assim as chances de descobrirmos ou notarmos uma anomalia e assim realizarmos um diagnóstico preciso e antecipado da enfermidade.

Recent Posts
Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text. captcha txt

Start typing and press Enter to search